2007-07-05

Sopas de poejo com queijo

Saudações alentejanas !!!

Perguntam vocês o que a culinária tem a ver com a Serra da Adiça?
Ora bem, a serra tem uma variedade de plantas e animais, que ao longo dos tempos foram e ainda são utilizados para confeccionar uma grande variedade de pratos e bebidas da região.


Como diz Manuel Fialho no livro “Cozinha regional do Alentejo” , “Aproveitando ao máximo a riqueza dos seus recursos e sabendo compensar com extraordinária habilidade as suas limitações, o alentejano criou uma cozinha única – sólida, nutritiva e surpreendentemente saborosa, que não é mais, afinal, que o espelho fiel da sua própria maneira de ser.

Este tipo de postagem é uma experiência, gostava de saber a vossa opinião, acham que devo continuar?



Sopas de poejo com queijo

Ingrediente da serra: poejo


Num tacho, faça um refogado em azeite (ou no pingo do toucinho) com bastante cebola às rodelas grossas, alho esmagado e pitada de colorau.Com a varinha bata uma boa quantidade de poejos previamente picados com a faca (aproveite tudo menos os caules mais rijos e as raízes), juntamente com uma golada de água e farinha (o suficiente para engrossar o caldo). Verta o batido no tacho, acrescente a água necessária e deixe ferver. Coza a seguir os queijos de meia-cura (queijo fresco) cortados aos quartos ou às fatias grossas e retire. Bata os ovos e verta-os em fio mexendo ao de leve. Com este caldo a ferver regue o pão já colocado na terrina e sirva acompanhado com o queijo cozido. Como variante reduza a quantidade de ovo batido e sirva com ovos escalfado.

Do livro : Com poejos e outras ervas - A.M. Galopim de Carvalho


7 comentários:

Paulo disse...

Continuar? Com toda a certeza. Não sou grande cozinheiro, mas gosto imenso de saborear... E a cozinha alentejana está entre as minhas favoritas. Aplaudo.
Cumprimentos.

Anónimo disse...

A utilização das plantas na alimentação humana também tem uma componente patrimonial e identitária de cada região.
Obrigada por mais esta achega.
Porque não trazer-nos receitas mesmo da nossa aldeia? As avós ainda se devem lembrar de algumas.
Vamos a isso?
Cumprimentos
E. Gomes

Ivo Rodrigues disse...

Saudações alentejanas !!!

A ideia é mesmo essa, as receitas da nossa aldeia, só que isto foi uma espécie de …………….. ensaio. :-)


Haja saúde !!!

Greenman disse...

Olá Ivo!
Obrigado pelo link. O teu também lá está!

Já o venho seguindo deste que te inscreveste no Fórum LUSORQUÍDEAS.

Quando estiver mais fresco temos que organizar um passeio por aí!

Anónimo disse...

Plenamente de acordo,1º porque gosto de comer,2º começar com uma receita do "Fialho" é primar pela qualidade,3º dar a conhecer os nossos sabores é cultura,4ºse precisar de algumas receitas com um toque pessoal,o meu, posso ajudar!Posso acrescentar que tive um amigo que privava, com o Fialho e o Saramago,gente com cheiro a Alentejo e só para homenagear o meu tão grande amigo aqui deixo uma das minhas receitas que ele adorava e por me chamar "marquesa" ficou "Ensopado à marquesa"

Anónimo disse...

1,5kg de carne de borrego;
3 cebolas grandes;
2 cabeças de alho;
pimenta preta em grão e em pó;
1 folha de louro
1 copo de vinho branco
1 côdea de pão duro
azeite de Brinches
hortelã e pão alentejano(duro)Coloque a carne,depois de lavada, num tacho e tape com água, leve ao
lume até ferver e tire a espuma que se forma na fervura,tenha a cebola cortada em rodelas finas, os alhos esmagados e deite todos os temperos e deixe cozer, ficando com caldo.Quando está quase cozido deite a côdea de pão(é o segredo para tirar o sabor forte do borrego).Em prato fundo faça sopas,deite o caldo conjuntamente com ramo de hortelã e sirva com a carne. Vai gostar! Adorava poder faze-lo para ti meu querido Lela,mas sei que muita gente o irá fazer e certamente porque entraram neste blog e testemunharam o carinho que por ti sinto,vão dizer a alguém e é através da palavra que tudo é eterno e tu és!

Formiguinha disse...

Acho mto interessante!